Você já parou para pensar que todas as coisas do universo possuem características únicas e específicas de cada substâncias das quais são feitas?

Coisas como cor, sabor, cheiro, estado físico, solubilidade… todas as substâncias possuem propriedades que impactam suas características físicas e químicas. Mas como essas diferentes características são explicadas no nível atômico e molecular? O que faz uma determinada substância se apresentar como líquido na temperatura ambiente e ao mudarmos a temperatura ela se torna sólido?

Hoje vamos falar um pouco sobre as bases dos grupos funcionais das estruturas moleculares que formam todas as coisas.

Você pode acessar esse conteúdo em áudio, busque por Bioinfo3D na sua plataforma preferida de podcasts ou acesse https://anchor.fm/bioinfo3d.

Todas as coisas que interagimos no dia a dia, as pessoas com quem falamos, os objetos que usamos, as roupas que vestimos e até o ar que respiramos e as estrelas que vemos no céu noturno possuem características distintas que as diferem entre si, porém também existem algumas propriedades que permitem que nós possamos classificá-las e estudá-las colocando-as em determinados agrupamentos com bases nos conjuntos de átomos das quais são formadas.

Essas composições, como se é esperado, também tem a ver com o tamanho, cor, formato etc mas não apenas isso. Características como cheiro, cor e sabor são consequências diretas da composição química das moléculas, porém outras características, como a temperatura exata do ponto de ebulição, ou o estado físico (seja ele sólido, líquido, gasoso ou plasma) estão relacionadas também com a composição, porém numa relação um pouco mais indireta. 

Em geral, as características das substâncias dependem da presença, ou ausência, de certos grupos funcionais nelas.

Um dos principais grupos funcionais é chamado Carboxila, sendo este um dos pilares da formação e dos processos que acontecem com o ácido desoxirribonucléico – DNA.

Mas o que são esses GRUPOS FUNCIONAIS?

O termo grupo funcional, ou grupamento funcional, se refere ao arranjo estrutural nos quais os átomos se organizam em sub estruturas moleculares capazes de alterar as propriedades físicas e químicas de uma coisa qualquer. Esses grupos determinam como as interações ocorrem dentro das moléculas e as interações de uma molécula com as suas vizinhas. Além disso, esses grupos são responsáveis pela reatividade das moléculas, ou seja, um determinado grupo funcional sempre irá reagir da mesma maneira na presença de um outro grupo funcional.

Por exemplo, na presença do álcool, o grupo carboxila, que é o grupo característico dos ácidos orgânicos como o nosso DNA,  sempre irá produzir um éster identificado como um substrato dessa reação. Da mesma maneira, existem outros grupos funcionais que podem fazer com que essas moléculas se tornem mais ou menos reativas.

Sendo assim, podemos afirmar que os grupamentos funcionais determinam o nível de reatividade e os tipos de reações químicas que uma determinada molécula pode sofrer. Ainda assim, quando se trata de grupos funcionais, existem algumas ambiguidades que podem ser consideradas para determinar que um composto específico pertence a uma classe ou outra.


Você já sabia sobre essas características moleculares e as reações químicas dos grupos funcionais? Deseja aprender mais sobre as ciências da vida e a bioinformática? Acompanhe o perfil @Bioinfo3D nas redes sociais e assine o nosso podcast que teve como primeiro episódio esse mesmo tema. Acesse https://anchor.fm/bioinfo3d ou busque por Bioinfo3D no seu agregador favorito de podcasts.

Bioinfo3D – A bioinformática em todas as dimensões ® é um projeto independente mantido por doações voluntárias de pessoas como você. Faça um pix para a chave bioinfo3d@gmail.com e nos escreva caso queira colaborar de outras formas. Para doar pelo PicPay basta buscar por Bioinfo3D. Siga a gente nas redes sociais e compartilhe conhecimento!

Nenhum comentário ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.